COMPARTILHAR

80% das crianças e dos adolescentes que identificarem o problema com antecedência e buscarem o tratamento em centros especializados, poderão ser curadas.

O câncer infantil é um grupo de doenças que produzem células anormais de forma descontrolada. No Brasil, entre as causas de morte patológicas em crianças e adolescentes de até 19 anos, esse problema ocupa o primeiro lugar.

de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), aproximadamente 12 mil novos casos de câncer infantil são registrados anualmente no país. Apesar do dado alarmante, o diagnóstico precoce e o auxílio de tecnologias avançadas, como a radioterapia, são importantes aliados no combate à doença.

Ainda segundo o Inca, 80% das crianças e dos adolescentes que identificarem o problema precocemente e buscarem o tratamento em centros especializados poderão ter altas chances de cura. A maioria delas terá uma boa qualidade de vida após a recuperação.

Como funciona

Segundo a rádio-oncologista Anne Karina Kiister Leon, do Instituto de Radioterapia Vitória (IRV), técnicas e equipamentos avançados são auxílios fundamentais para enfrentar o tumor e destruí-lo. “Quando a radioterapia é usada de forma precoce, há a tendência de reduzir a formação de células cancerígenas, podendo eliminar por completo a neoplasia”, afirma.

Quando isso não é possível, esse método ainda pode ser utilizado de modo paliativo, para diminuir o tamanho do tumor e controlar a sua evolução, reduzir a dor e outros sintomas. O objetivo final é a melhora da qualidade de vida do paciente, explica a médica.

Anne Karina Kiister Leon também reforça a importância do diagnóstico precoce. “Alguns dos sintomas mais comuns da doença são dores de cabeça, enjoos, alteração de visão, dor, presença de massa palpável e perda de peso. É importante procurar um especialista assim que esses indícios forem notados na criança, para que, se necessário, o tratamento seja iniciado o mais rápido possível”, alerta.

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA