Há uma insatisfação coletiva dos eleitores em relação aos políticos existentes hoje no mercado político, em especial no Congresso Nacional, nos estados e municípios. O eleitorado busca políticos que somem às características do presidente da República Jair Messias Bolsonaro. E Guarapari não foge à regra. O espaço está aberto e a população anseia por novos nomes. Surge neste cenário, em Guarapari, o do deputado estadual Carlos Von; Edson Magalhães – prefeito atual, que busca sua reeleição -; da ex-secretária municipal de Saúde e Assistência Social Maria Helena Neto; Gedson Merizio – subsecretário estadual de turismo -; o médico e ex-vereador Dr. Frans; os vereadores Oziel de Souza e Fernanda Mazelli; dos empresários Jones Satlher – amigo pessoal do filho do presidente Bolsonaro -, e Gustavo Guimarães – do Guaracampi -; e do Coronel Ferrari. Maria Helena Neto foi a nossa entrevistada da entrevista passada. Agora, o nosso entrevistado é o Coronel Ferrari, que tem um currículo invejável e muito respeitado tanto na carreira militar como vida civil e pública.

Nesta Edição vamos entrevistar o pré-candidato a Prefeito de Guarapari, Daltro Antônio Ferrari Junior, conhecido como “Coronel Ferrari”. Ele tem 53 anos de idade, 29 anos de serviços prestados à sociedade capixaba, pai de duas filhas, Coronel da Polícia Militar, Bacharel em Direito, Engenheiro Mecânico e de Produção, Pós Graduado em Gestão da Segurança Pública, foi Subsecretário e Secretário de Estado por 08 anos.

Hg – Por que o senhor quer ser prefeito de Guarapari?

Coronel Ferrari – Quando cheguei do curso de formação de oficiais, fui designado para atuar na unidade operacional e responsável pela segurança pública do município de Guarapari, quando adquiri muito respeito e admiração deste belo município, onde tenho vínculos familiares e moro atualmente. Vinha acompanhando o descaso da gestão municipal com o cidadão e vendo o dinheiro público sendo jogado no ralo. Assim resolvi colocar meu nome à disposição da sociedade para que possamos” juntos mudar o destino de Guarapari”.

Hg – Mas quem é o Coronel Ferrari, qual sua origem familiar e profissional?

Coronel Ferrari – Sou de família humilde, pai caminhoneiro e mãe costureira que nos ensina até hoje que devemos sempre estar prontos a ajudar ao próximo e agora que estou próximo a concluir minha missão junto a segurança pública estadual, acredito que chegou a hora de colocar o conhecimento adquirido nos diversos cargos que exerci na carreira em prol da população.

A escolha de Guarapari é simples. Além de fazer parte do reduto familiar, tem o lado profissional, local onde iniciei minha carreira e onde estou morando atualmente.

Nos meus 30 anos de carreira exerci quase todas as funções existentes na corporação, desde as mais operacionais, como o comando de equipes de radiopatrulha, pelotão de choque, inteligência da polícia militar, diretoria de finanças, diretoria de direitos humanos e polícia comunitária.

Minha experiência na gestão pública vem da minha atuação à frente da Secretaria de Estado da Casa Militar ao logo dos últimos 16 anos, onde fui subsecretário e secretário de estado, compreendendo bem como funciona a máquina pública e onde aprendi que devemos ter o maior zelo com o dinheiro do cidadão.

Hg – O senhor tem um nome pouco conhecido na cidade, acha que consegue projeção para disputar com os nomes mais conhecidos da cidade? Mais tradicionais?

Coronel Ferrari – Fico feliz em saber que meu nome é pouco conhecido, pois os nomes mais conhecidos que vemos nos noticiários e nas ruas, não tem a aprovação da população. Os nomes conhecidos estão há anos à frente da política de Guarapari, município com enorme potencial, mas que encontra-se com o sistema de saúde falido, vivendo de um turismo da década de 80, com estradas e vias abandonadas pela gestão municipal, ruas inseguras e uma mobilidade urbana sem regulação e fiscalização. A cidade saúde não foi cuidada como ela merece.

Hg – O senhor tem andado nos bairros e conversado com a população. O que mais chamou a atenção?

Coronel Ferrari – Nas caminhadas e reuniões com a população pude ver nos olhos a ansiedade por mudanças. A falta de saúde, de segurança e de oportunidades de emprego foram as mais notadas. Temos observado que a população está doente, faltam profissionais, adultos e crianças impossibilitadas de irem ao trabalho ou a escola quando chove, pois as ruas não são calçadas. Guarapari está cansada de mais do mesmo, é preciso sangue novo, assim tenho certeza que meu nome chegará a todos eles como uma nova alternativa para o município.

Mas uma coisa me saltou aos olhos, a população repete a todo o momento que tem que mudar, que não dá mais para ver obras sendo feitas apenas para favorecer a alguns. Recebi o relato de uma mãe que me disse: “meu filho, Coronel, só tem dois caminhos quando acabar os estudos, 2º grau (ensino médio), ou vai para o mundo do crime ou vai para trás do balcão”. A gente nota que não é com demérito que a pessoa fala, mas é a expressão da realidade. Ocorre que as oportunidades de “balcão” estão diminuindo e não vemos a gestão municipal tomar nenhuma iniciativa no sentido de gerar emprego e renda para os jovens.

Hg – A Guarapari de hoje é um balneário que sobrevive do turismo, e só do turismo. Todos os anos a proposta dos candidatos é sempre a mesma. A sua se difere pelo que?

Coronel Ferrari – A palavra é essa mesmo, SOBREVIVE. A cidade de Guarapari sofre com a falta de visão estratégica e futurista, ficando presa a um modelo atrasado de turismo: o turismo de balneário, que gera poucos investimentos e rentabilidade à população. A geração de emprego e renda demanda um modelo de inovação baseado nos pilares do empreendedorismo, geração de emprego local e preservação do meio ambiente. Precisamos incentivar o turismo de eventos, de negócios, de aventura e o ecoturismo ao mesmo tempo em que fomentamos a criação e desenvolvimento do polo empresarial de Guarapari, sendo uma das propostas a criação de rotas turísticas culturais integrando a zona rural com a zona urbana, potencializando os pontos turísticos e as belezas da cidade.

Hg – A carência da cidade é grande, infraestrutura, saúde e educação. Muitos já tentaram, mas até agora pouco se avançou. Existe solução para isso? O senhor traz alguma proposta?

Coronel Ferrari – SAÚDE – O sistema de saúde municipal é o maior desafio. Precisamos reorganizar, ampliar e fortalecer o serviço de saúde da família, que se encontra desestruturado e desaparelhado, totalmente falido. Nem a rede privada de saúde do município consegue dar assistências aos usuários. Não foi uma vez que ouvi dizer “coronel, se eu adoecer quero ser levado para Vitória”. Na busca pela melhora da qualidade de vida do cidadão precisamos oportunizar um sistema de saúde que oferte ao cidadão um aparo nos momentos de maior angustia, valorizar e contratar novos profissionais para recompor as equipes.

Vamos implementar um Centro de Referência de Especialidades e de Diagnósticos Municipal para evitar que as pessoas tenham que se deslocar para outros municípios ou esperar meses para serem atendidas. É preciso também colocar em prática os serviços de apoio às pessoas com deficiência, idosos e pessoas em situação de rua.

Precisamos manter equipes de atendimento do ESF (Estratégia de Saúde da Família) visando atingir cobertura de 100%, expandindo os atendimentos em conjunto com todos os programas preconizados pelo Ministério da Saúde, bem como assegurar o transporte no deslocamento dos usuários acometidos com doenças crônicas e de tratamentos contínuos em outros municípios.

A região norte merece atenção especial com a instalação de uma Unidade de Urgência e Emergência.

EDUCAÇÃO – Na Educação, pretendo ampliar a oferta de escolas com tempo integral e também criar escolas cívico-militares, ambas com o objetivo de oferecer mais uma opção didático-pedagógica, objetivando formar cidadãos plenos, conscientes de seus direitos e deveres, tudo em diálogo com o corpo escolar. Vamos ampliar o número de creches com horário de funcionamento integral, visando oportunizar aos pais mais tranquilidade para o exercício da profissão, bem como colocar em pauta as nomeações de professores com concursos públicos já realizados, e discutir o processo de direção e coordenação das escolas, visando melhorar e dar mais transparência a essa atividade.

MOBILIDADE URBANA – A Mobilidade Urbana é outro tema que precisa de alternativas. O transporte público precisa ser repensado, pois não atende à necessidade diária da cidade, tanto em horários quanto em locais de circulação e parada, precisando ser reformulado os trajetos e horários. Vamos construir ciclovias e ciclo faixas interligando os perímetros do município, incentivando assim o uso de bicicletas nos deslocamentos diários.

Colaboradores nos abordam também nas conversas preocupados com a questão dos deslocamentos de ônibus de turismo nas vias urbanas e a discussão da nova ponte de Guarapari. É consenso que o turista tem que ser bem acolhido pelo município e pelos munícipes, entretanto, tem que se estudar a adoção de regras para que se minimizem impacto na mobilidade diária.

Hg – O senhor vem da área segurança, uma área sensível e que em Guarapari é também importante. O que pretende fazer?

Coronel Ferrari – SEGURANÇA PÚBLICA – Outro desafio do município é aparelhar o sistema de segurança municipal. Vamos criar a Guarda Municipal Armada, com atuação voltada para o patrulhamento urbano e rural, bem como na fiscalização do trânsito da Cidade proporcionando tranquilidade aos cidadãos, aos turistas e às comunidades urbanas e rurais, hoje expostos a altos índices de violência. Pretendo implantar postos de atendimento da Guarda Municipal, funcionando 24 horas e interligados ao sistema de vídeo monitoramento “cerco eletrônico”.

PATRULHA RURAL – Na zona rural, sempre esquecida pela prefeitura, vamos criar a patrulha rural para fazer visitas tranquilizadoras às propriedades cadastradas e às comunidades mais afastadas. A ronda diária permitirá a criação de laços com a comunidade, servindo de canal de comunicação direta com o gestor municipal, o que torna o trabalho mais acessível, eficiente e proativo.

Hg – Outros temas pulsantes na sociedade são a questão do cuidado com o cidadão, a modernização da gestão e o meio ambiente. O que o senhor propõe para esse tema?

Coronel Ferrari – ATENDIMENTO SOCIAL – Realmente uma cidade que não dá atenção ao seu cidadão não consegui ir longe. Neste sentido vamos incentivar a produção cultural e de lazer para as pessoas idosas; repaginar e criar o CRAS itinerante para garantir não só à população urbana, mas também rural, os benefícios oferecidos pelo município; garantir a formação continuada dos trabalhadores da assistência social com capacitações e treinamentos e promoção de cursos profissionalizantes.

GESTÃO PÚBLICA – No que tange a modernização da gestão, campo que tenho experiência por ter atuado como gestor público por 16 anos, vamos promover a repaginação e ampliação da Ouvidoria Pública Municipal; colocar a Secretaria de Controle e Transparência numa nova ordem de atuação; fornecer serviços online aos contribuintes. (IPTU, Certidões Negativas, NFS e entre outros); implantação do plano de cargos, carreiras e remuneração dos servidores públicos municipais e implantar programa de atenção, vigilância e promoção à saúde do servidor.

MEIO AMBIENTE – Falar em Guarapari é falar em suas belezas naturais, por isso vamos ampliar os estudos e levantamentos de dados ambientais da região do município; fortalecer as parcerias entre instituições de ensino superior e a Secretaria de Meio Ambiente; revitalizar espaços públicos como praças e jardins com base em conceitos ecologicamente corretos; criar o programa “Nascentes Vivas” e apoiar e incentivar os produtores rurais e proprietários rurais quanto as práticas de conservação do meio ambiente

Hg – Considerando que o senhor ganhe a eleição irá trabalhar com nomes locais para compor sua administração?



Coronel Ferrari é Coronel da Policia Militar, Bacharel em Direito, Engenheiro, pós-graduado em Gestão da Segurança Pública, já foi Subsecretário e Secretário de Estado.

Coronel Ferrari – Sim, vamos trabalhar com nomes locais, já estamos conversando com diversos atores da cidade, de modo a montar uma equipe adequada às demandas do município, e que estão afastadas do processo, pois não compactuam com o atual modelo de gestão. O cidadão quer que o gestor público apresente soluções para os problemas da cidade, por isso vamos trabalhar com uma equipe técnica de governo.

Hg – Por que o eleitor de Guarapari deve acreditar e confiar que o senhor é a melhor opção para o município?

Coronel Ferrari – Sempre atuei com muita dedicação e competência. Minha formação técnica e profissional, aliadas a minha experiência em gestão orçamentaria e financeira, TENDO TODAS AS CONTAS APROVADAS PELO TRIBUNAL DE CONTAS, me coloca na posição de dizer que sou o candidato mais preparado para exercer a gestão municipal. Vamos adotar uma postura de atuação participativa, através das reuniões semanais com as comunidades. A população vai ver o prefeito nas ruas, nos bairros e nas casas deles, sentindo na vida real a necessidade da população. Vai ser “GENTE CUIDANDO DE GENTE”. “VAMOS FAZER DE GUARAPARI UMA CIDADE QUE FUNCIONE 12 MESES NO ANO E, NÃO 2 MESES COMO É HOJE”.

Hg – E a MENSAGEM FINAL?

Coronel Ferrari – Compactuo com as ideias de patriotismo, civismo e retidão. Vamos aplicar esses princípios na gestão municipal. Vamos atuar com muita humildade, dedicação e trabalho em equipe para servir a população e honrar o voto que me for depositado, fechando os gargalos financeiros e combatendo todo e qualquer desvio.

Artigo anteriorMarataízes – Parceria entre SEBRAE/ES e Prefeitura promove consultorias voltadas para músicos locais
Próximo artigoGuarapari – Adote um desses lindos gatinhos que estão à espera de um lar
Jornalista formado pela Universidade Ceub - Brasilia/DF. Ex-presidente da Adjori/ES - Associação dos Jornais e Revistas do Interior do Estado do Espírito Santo - de 2013 a 2016

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui