Mais um produto capixaba tem sua Indicação Geográfica registrada junto ao INPI

04/05/2021 – 08h00

Os Cafés das Montanhas do Espírito Santo tiveram sua Indicação Geográfica (IG) oficialmente reconhecida nessa terça-feira (4), junto ao Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI). A partir de agora, esses cafés possuem seu registro na modalidade “Denominação de Origem” (DO), destacando a qualidade e notoriedade do café produzido na região.

O trabalho que culminou nesse reconhecimento foi estruturado pelo Sebrae/ES, em conjunto com diversos parceiros, como Incaper, Embrapa Café, Ifes, Ministério da Agricultura, Sicoob, prefeituras, entre outros, com consultoria do Instituto Inovates, cabendo destacar ainda a importância do papel da Acemes (Associação dos Produtores de Cafés Especiais das Montanhas do ES), que é a representante dos produtores locais junto ao INPI e responsável pela gestão desta Identidade Geográfica.

O processo de estruturação de uma Denominação de Origem demanda vários documentos técnicos/científicos, projetos e estudos para comprovar a vinculação do produto daquele território específico ao meio geográfico, ao chamado “terroir”, bem como a influência que os saberes, a cultura da região exerce sobre o produto final. Nesse ponto, foi fundamental a parceria do Ifes e Incaper, para as comprovações científicas requeridas.

“Essa é mais uma importante conquista para o Espírito Santo. Trata-se da segunda Denominação de Origem para cafés do Espírito Santo, o que demonstra a singularidade da nossa cafeicultura. A dedicação dos cafeicultores, o profissionalismo e a união das instituições parceiras nesse processo, culmina em mais esta conquista que merece ser celebrada por todos os capixabas”, explica o superintendente do Sebrae/ES, Pedro Rigo.

Entre os diversos benefícios da formalização do registro, além da valorização do produto e da região, há a promoção junto ao mercado internacional. O acordo Mercosul União Europeia, por exemplo, uma vez firmado, possibilitará o reconhecimento mútuo das IG das partes envolvidas, trazendo ganhos para as IG nacionais.

“Essa conquista é muito importante e benéfica não só para os produtores dos cafés, como também para todos os moradores da região, pois alavanca o agroturismo, turismo de negócios e de experiência, movimentando a economia local”, afirma Pedro Rigo.

A área geográfica da Denominação de Origem dos Cafés das Montanhas do Espírito Santo envolve 16 municípios: Afonso Cláudio, Alfredo Chaves, Brejetuba, Castelo, Conceição do Castelo, Domingos Martins, Iconha, Itaguaçu, Itarana, Marechal Floriano, Rio Novo do Sul, Santa Maria de Jetibá, Santa Teresa, Santa Leopoldina, Vargem Alta e Venda Nova do Imigrante.

Além dos cafés das Montanhas Capixabas, o Café do Caparaó também já possui registro no INPI para a Denominação de Origem. O Conilon ES também reivindicou o selo da Indicação Geográfica e avança nas etapas exigidas para obter a certificação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui