Especialista informa sobre a necessidade e cuidados com o reaproveitamento hídrico

A primavera é um período marcado por temperaturas altas e baixas em um curto espaço de tempo, tendo em um mesmo dia uma grande variabilidade de amplitude térmica.

Com isso, é natural que a estação seja reconhecida como um dos períodos mais chuvosos do país.

Saber aproveitar esse momento para reutilizar a água no futuro é uma prática que vem ganhando adeptos, principalmente nos edifícios e indústrias, com o objetivo de equalizar os períodos de secas.

Um modelo típico de captação residencial

Dados da Agência Nacional das Águas (ANA) apontam que a demanda por uso de água no Brasil deve aumentar em 30% até 2030. E para minimizar os impactos hídricos, a coordenadora dos cursos de Engenharia Arquitetura e Urbanismo da Faculdade Pitágoras, Isadora Gotardo, explica que existem boas práticas para o reaproveitamento hídrico. “O armazenamento da água da chuva é uma excelente alternativa, especialmente para uso nos períodos de seca.

Os cuidados da coleta da água

Mas o recomendado é que a primeira água que cai no telhado, seja desprezada. Já existem alguns softwares que calculam uma tubulação de extravasão, para o usuário fazer o descarte do volume inicial correto. Vale destacar, no entanto, que essa água não é potável e deve ser destinada para a outros fins”, alerta.

Isadora Gotardo

A especialista informa que existem formas eficientes para utilizar a água das chuvas. “A água que consumimos vem dos reservatórios das cidades, que são abastecidos pelas chuvas, mas recebe tratamento antes de chegar em nossas casas.

Contudo, a água da chuva sem tratamento pode ser captada e armazenada em reservatórios, o que permite tanto o uso doméstico em vasos sanitários, torneiras de jardim, lavagem de veículos e de roupas, como em empresas de grande porte”, explica Isadora.

Além desses benefícios, utilizar a água das chuvas pode fazer com que os problemas como enchentes sejam minimizados. Como o escoamento superficial da água para as galerias pluviais será menor, consequentemente menos água será acumulada no sistema coletor.

Onde encontrar reservatórios

A especialista informa que é possível encontrar no mercado reservatórios próprios para captação de água de chuva. “Eles ocupam pouco espaço, visto que serão alocados no chão. E mesmo essa água, se ficar armazenada por um longo período, deve receber tratamento”, informa Isadora.

Dicas

Veja algumas dicas da profissional para montar uma captação de água em casa ou sugerir para o condomínio:

1 – Faça uma checagem do telhado. Afinal de contas, essa área será a fonte principal para captar a água da chuva. Caso você note uma sujeira excessiva, providencie uma limpeza, lembrando-se das calhas;

2 – Evite coletar a água nos dez primeiros minutos de chuva. É nesse momento que estão os maiores índices de sujeira e que sobrecarregam os filtros das cisternas;

3 – Escolha a cisterna ideal para a sua casa. Aquelas que podem ser instaladas sob o chão tem a vantagem de manter a água acumulada em temperaturas mais baixas, já que elas não sofrem a incidência de luz;

4 – Para escolher a cisterna adequada, cheque primeiro a capacidade da caixa d´água. Assim, você escolhe o produto que mais se adeque a sua realidade e complemente o uso doméstico. Há modelos com capacidades que variam entre 2.800 e 10.000 litros.

Também existem opções para todos os bolsos. As diferenças básicas são a capacidade de armazenamento, os recursos de filtragem e a distribuição da água acumulada;

5 – A cisterna pode ser feita de alvenaria, plástico modular e fibra de vidro. É importante verificar que sejam materiais que não transmitam cheiros ou odores e que preservem a qualidade da água.

Sobre a Faculdade Pitágoras

Faculdade Pitágoras (Fachada interna)

Fundada em 2000, a Faculdade Pitágoras já transformou a vida de mais de um milhão de alunos, oferecendo educação de qualidade e conteúdo compatível com o mercado de trabalho em seus cursos de graduação, pós-graduação, extensão e ensino técnico, presenciais ou a distância.

Presente nos estados de Minas Gerais, Maranhão, Goiás, Ceará, Pará, Piauí, Paraíba, Pernambuco, Acre, Alagoas, Bahia, Espírito Santo, Paraná e São Paulo, a Faculdade Pitágoras presta inúmeros serviços gratuitos à população por meio das Clínicas-Escola na área de Saúde e Núcleos de Práticas Jurídicas, locais em que os acadêmicos desenvolvem os estudos práticos.

Focada na excelência da integração entre ensino, pesquisa e extensão, a Faculdade Pitágoras oferece formação de qualidade e tem em seu DNA a preocupação em compartilhar o conhecimento com a sociedade também por meio de projetos e ações sociais.

A Faculdade Pitágoras nasceu herdando a tradição e o ensino de qualidade oferecido pelo Colégio Pitágoras, fundado em 1966, que também deu origem ao grupo Kroton. Para mais informações, acesse o site da Faculdade Pitágoras e o Blog Pitágoras .

Sobre a Kroton

A Kroton nasceu com a missão de transformar a vida das pessoas por meio da educação, compartilhando o conhecimento que forma cidadãos e gera oportunidades no mercado de trabalho. Parte da holding Cogna Educação, uma companhia brasileira de capital aberto dentre as principais organizações educacionais do mundo, a Kroton leva educação de qualidade a mais de 829 mil estudantes do ensino superior em todo o País.

Presente em 1.221 municípios, a instituição conta com 131 unidades próprias, sob as marcas Anhanguera, Pitágoras, Unic, Uniderp, Unime e Unopar e é, há mais de 20 anos, pioneira no ensino à distância no Brasil.

A Kroton possui a maior operação de polos de EAD no país, com 2,1 mil unidades parceiras, e oferece no ambiente digital 100% dos cursos existentes na modalidade presencial. Com a transmissão de mais de 1.000 horas de aulas a cada mês em ambientes virtuais, a Kroton trabalha para oferecer sempre a melhor experiência aos alunos, apoiando sua jornada de formação profissional para que possam alcançar seus objetivos e sonhos. Para mais informações acesse o site da Kroton .

Artigo anteriorAnchieta │Biblioteca Municipal em novo endereço
Próximo artigoGuarapari │10º BPM recepciona soldados recém-formados e dá inicio a Operação Natal
Jornalista formado pela Universidade Ceub - Brasilia/DF. Ex-presidente da Adjori/ES - Associação dos Jornais e Revistas do Interior do Estado do Espírito Santo - de 2013 a 2016