Bruno Soares, de 23 anos, havia sido preso por tráfico de drogas e estava respondendo pelo crime em liberdade

O dono de lava-jato morto com 30 tiros na região de Terra Vermelha na manhã desta terça-feira (11), tinha sido liberado da prisão há seis meses. A informação faz parte das investigações preliminares da Polícia Civil. 

A vítima, identificada como Bruno Santos Soares, de 23 anos, foi preso em 2018 por tráfico de drogas e estava respondendo em liberdade. 

Alguns moradores da região conversaram com a reportagem da TV Vitória/Record TV e informaram que a vítima era uma pessoa tranquila e estava tentando reconstruir a vida longe das drogas. 

Na manhã desta terça-feira (11), no momento em que chegava para trabalhar, o dono de lava-jato, Bruno Soares foi assassinado com 30 tiros. Segundo testemunhas, um carro com quatro indivíduos armados se aproximou e efetuou os disparos. 

O carro em que o rapaz estava ficou com muitas marcas de tiro. O crime aconteceu à luz do dia, por volta das 8h. 

Além do carro de Bruno, os disparos atingiram o muro de uma residência. Segundo a Polícia Civil, o crime tem características de execução.

Em nota, a Polícia Civil informou que o caso seguirá sob investigação da Divisão Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Vila Velha. Até o momento, nenhum suspeito foi detido e detalhes da investigação não serão divulgados, por enquanto.

Fonte: Folha Vitória

Artigo anteriorSicoob cria campanha nacional SOS Bahia para arrecadar R$500 mil para os desabrigados
Próximo artigoPescadores artesanais têm credito específico da Caixa Econômica Federal
Jornalista formado pela Universidade Ceub - Brasilia/DF. Ex-presidente da Adjori/ES - Associação dos Jornais e Revistas do Interior do Estado do Espírito Santo - de 2013 a 2016