Apenas 30% dos coletivos estão circulando nas ruas do município, o que não atende a toda população

Atualizado 14/03/2022 18:30:33

Os moradores de Guarapari que precisam do transporte público enfrentaram dificuldades nesta segunda-feira (14).

Parte da frota dos ônibus da empresa Expresso Lorenzutti não está circulando desde o início da manhã. 

Crise

Os funcionários fazem uma paralisação. Eles alegam que alguns colegas estão com os salários atrasados. Apenas 30% dos coletivos estão rodando nas ruas nesta segunda.

A empresa disse, em nota, que enfrenta uma “grave crise financeira”, que teria sido provocada pela defasagem tarifária imposta pelo município. A empresa afirmou ainda que não recebe auxílio ou subsídio da prefeitura, agravando a situação financeira. (Veja a nota na íntegra abaixo).

A prefeitura de Guarapari, através da Secretaria de Postura e Trânsito (Septran), informou que no contrato da concessionária com o município não está previsto ajuda de subsídio para a operação do serviço. 

O município disse ainda que já emitiu 54 multas para a empresa, por ela realizar os horários divergentes dos autorizados pelo município. Quanto às vans clandestinas, o serviço de fiscalização será intensificado.

Trabalhadores cantaram parabéns para salários atrasados

Essa não é a primeira vez que os funcionários da empresa reclamam de problemas no pagamento. Em junho do ano passado, os motoristas e cobradores fizeram um protesto e cantaram parabéns para os salários atrasados

Segundo os trabalhadores, o vale-alimentação e o FGTS também estavam atrasados.

Na ocasião, a empresa afirmou que vinha buscando solucionar a regularização dos salários e explicou que apenas o vale-alimentação referente ao mês de maio estaria em atraso. A empresa ressaltou ainda que os débitos de FGTS foram parcelados junto ao órgão competente.

Leia a nota da empresa na íntegra

A Expresso Lorenzutti vem, através da presente, esclarecer que:

Desde o início da execução do serviço de transporte público de passageiros, a empresa vem sendo submetida a uma grave crise financeira, diante da histórica defasagem tarifária que lhe é imposta pelo município de Guarapari, ao fixar a tarifa de passagem incapaz de cobrir os custos do sistema.

Essa situação é agravada pelo fato de que o município de Guarapari NÃO FORNECE QUALQUER AUXÍLIO OU SUBSÍDIO À CONCESSIONÁRIA, seja em razão das gratuidades ou por passageiros transportados, tal qual ocorre normalmente em diversos outros sistemas de transporte atuantes na Grande Vitória

VÍDEO | Rodoviários cantam “parabéns” para salários atrasados durante protesto em Guarapari

Funcionários estão com as atividades paralisadas há dois dias e reivindicam pagamentos de salário, FGTS e vale alimentação, que estariam atrasados

Motoristas e cobradores da empresa Expresso Lorenzutti fizeram um protesto, nesta terça-feira (08), no bairro Muquiçaba, em Guarapari. Os funcionários, que estão com as atividades paralisadas há dois dias, cantaram parabéns e levaram até um bolo para o ato, em “celebração” ao aniversário dos pagamentos atrasados.

Cerca de 70 funcionários participaram do ato desta terça-feira. Segundo o cobrador Carlos Alberto, um dos trabalhadores que esteve no protesto, o gesto criativo e inusitado de protestar foi a maneira encontrada pelos motoristas e cobradores para chamar a atenção para as reivindicações.

“A ideia foi dos próprios trabalhadores. Estamos há 44 meses com FGTS atrasado. O protesto foi para chamar a atenção, para reivindicar o nosso salário e o acordo firmado no ano passado”, afirmou.

Os trabalhadores reclamam de atrasos no pagamento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e afirmam que a empresa não estaria cumprindo com acordos firmados para a remuneração de atrasos no salário e no vale alimentação.

De acordo com os funcionários, por conta da pandemia do novo coronavírus foi firmado um acordo com a empresa para que fossem acertados os débitos. No entanto, a empresa não estaria cumprindo com o acordo. 

“Para a gente voltar a circular, queremos 100% do atrasado, dos acordos. Ficamos devendo prestações de carro e casa para ajudar a empresa, mas não estão cumprindo com o acordo”, ressaltou Carlos. 

Os ônibus da empresa não estão rodando desde segunda-feira (07), quando os funcionários fizeram uma passeata por ruas do município. Ainda segundo os trabalhadores, a paralisação deve continuar nesta quarta-feira (09), quando representantes da categoria terão uma reunião no plenário Ewerson de Abreu Sodré, na Câmara dos Vereadores do município. 

Em nota, a empresa afirmou que tem buscado solucionar a regularização dos salários, explicou que apenas o vale alimentação referente ao mês de maio está em atraso e ressaltou que os débitos de FGTS foram parcelados junto ao órgão competente. 

A empresa Expresso Lorenzutti ainda se colocou à disposição dos funcionários para conversar. Entretanto, ressaltou que não compactua com práticas ilegais e discricionárias que, segundo ela, vêm sendo tomadas por alguns manifestantes. 

Fonte: Folha Vitória

Artigo anterior4 File Audit Methods
Próximo artigoJust how Media Assault Affects Kids Mental Overall health
Jornalista formado pela Universidade Ceub - Brasilia/DF. Ex-presidente da Adjori/ES - Associação dos Jornais e Revistas do Interior do Estado do Espírito Santo - de 2013 a 2016