De repente um inesperado sentimento de morte iminente. 

No entorno a sensação silenciosa do inimigo oculto, ferrenho e mortal.

O procuro, desde as galáxias até as profundezas da terra.

Sou livre e nada posso perante a catástrofe dizimando a população!

E vem o sentimento de estagnação inutilidade!…

O retorno para dentro de si,  eureca, eis o caminho…

Depois de tudo talvez, não seja tarde para reaprender e recolher o que já sabemos até então… mas deixamos o conhecido para trás.

Esta penosa separação não é fácil e no íntimo sabemos que o dizer adeus do que era seguro traz a única segurança que jamais conheceremos!

Aprender é descobrir o que sabe.

Agir é demonstrar o que sabemos.

Maria Eny, leitora do hgnoticias.com.br

Artigo anteriorNelson Teich pede demissão do Ministério da Saúde e anuncia coletiva hoje à tarde (15)
Próximo artigoGuarapari – Espaço de atendimento exclusivo a suspeitas de síndromes respiratórias, já está funcionando
Antonino Simões de Campos
Jornalista formado pela Universidade Ceub - Brasilia/DF. Ex-presidente da Adjori/ES - Associação dos Jornais e Revistas do Interior do Estado do Espírito Santo - de 2013 a 2016

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui